Balanopostite – candidíase masculina ou peniana

A candidíase  no pênis ou balanopostite é muito comum entre homens, apesar de muitos não apresentarem nenhum sintoma grave. O principal sintoma é o aparecimento de fungos, em forma de manchas brancas no pênis ou então pequenos cortes ou fissuras. Num estado mais avançado o homem pode apresentar sintomas semelhantes a candidíase vaginal.

Este problema de saúde não é contagioso e surge quando existe um crescimento excessivo dos fungos que vivem normalmente no nosso organismo. Tanto mulheres como homens podem desenvolver candidíase em várias partes do corpo como por exemplo: genitais, intestinos, couro cabeludo, unhas, bexiga, boca, esófago e pele.

Homem com candidiase peniana

O fungo da cândida também afeta os homens

 

Sintomas de candidíase masculina ou peniana

  • Ardor no ato sexual;
  • Inchaço no pênis ( ver balanite no pênis );
  • Escamas ou manchas brancas no pênis;
  • Fissuras ou cortes na pele;
  • Sensação de ardor ao urinar;
  • Corrimento muito parecido com o sêmen.

 

Causas da balanopostite

Esta doença normalmente aparece em duas situações: quando o organismo está com poucas autodefesas ou quando existe uma concentração muito alta de açúcar no sangue.

  • Homem com diabetes: a quantidade de açúcar no sangue é a principal causa de candidíase peniana;
  • Ingestão de drogas:, o consumo de maconha ou outras drogas que baixam a imunidade do organismo;
  • Alimentação pouco saudável: alimentação baseada em muitos açucares e massas;
  • Consumo de cerveja: a cerveja é rica em cevada, ingrediente que estimula a proliferação de fungos;
  • Alergias ao glúten e/ou leite: muitas pessoas sofrem de alergias sem saber, por isso nunca ponha de lado a possibilidade de ser alérgico ao leite ou ao glúten que são os mais comummente produzem a balanopostite;
  • Doenças ou tratamentos recentes: uma cirurgia, uma anemia ou até uma simples gripe são o suficiente para afetar a imunidade do organismo permitindo o crescimento do fungo da cândida;
  • Nível de estrogênio: o estrogênio é uma hormona que os homens têm em pouca quantidade, no entanto homens obesos podem produzir o dobro da quantidade desta hormona, fazendo aumentar a concentração de açúcar no sangue e criando condições ideais para aparecimento dos fungos no pênis;

 

Tratamento natural com remédios caseiros para a candidíase masculina ou peniana (Balanopostite)

 

Para curar ou tratar o fungo da cândida no pênis, primeiro é necessário saber se o seu caso é esporádico, ou seja, se aparece de vez em quando de longe à longe,  ou se é recorrente. Se aparecer frequentemente o melhor e recorrer ao seu médico já que você deve ter algum problema de saúde citado nas causas. Se for uma situação esporádica então poderá ser tratada com remédios caseiros ou tratamentos naturais:

  • Tratamento com iogurte natural: após uma lavagem aplique um pouco de iogurte natural por todo o pênis a cada 4 horas até o sintomas desaparecerem. Muito importante: não deve lavar o pênis depois da aplicação, só antes da mesma, o objetivo é que o iogurte fique em contacto com a pele o maior tempo possível.  Este remédio caseiro é muito eficaz mas pode ser muito desconfortável estar com a cueca úmida durante o dia.

 

  • Tratamento natural usando vinagre: um outro remédio natural para vencer o fungo da cândida é o vinagre. Basta fazer banhos de assento com água morna e vinagre, adicionando 4 colheres de vinagre por cada 1/2 litro de água.

 

62 Comentários
  1. 19 de dezembro de 2015
    • 28 de janeiro de 2016
  2. 1 de novembro de 2015
  3. 27 de outubro de 2015
    • 29 de outubro de 2015
  4. 12 de outubro de 2015
  5. 16 de setembro de 2015
  6. 1 de agosto de 2015
    • 30 de agosto de 2015
  7. 22 de maio de 2015
  8. 8 de fevereiro de 2015
  9. 9 de novembro de 2014
  10. 7 de setembro de 2014
  11. 17 de junho de 2014
    • 27 de julho de 2014
    • 27 de agosto de 2014
    • 31 de agosto de 2014
      • 13 de maio de 2015
    • 25 de janeiro de 2015
      • 3 de setembro de 2015
    • 25 de janeiro de 2016
  12. 13 de maio de 2014
  13. 26 de abril de 2014
  14. 4 de abril de 2014
    • 6 de junho de 2014
      • 7 de junho de 2014
  15. 9 de março de 2014
  16. 4 de março de 2014

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *